Estimulação e brincadeiras

É através das brincadeiras que a criança toma consciência de seu corpo, de suas capacidades e do meio. O aprendizado começa através da brincadeira. Brincar distrai, relaxa e permite que a criança comece a desenvolver suas habilidades motoras, cognitivas, afetivas e sociais. A estimulação adequada nesta fase contribui muito para o desenvolvimento saudável da criança.

O que fazer: Nos primeiros meses de vida da criança, o principal estímulo vem dos cuidadores. A sua atenção e carinho faz com que a criança se sinta amada, segura e feliz. Algumas atividades de estimulação que podem ser realizadas neste período são:
    • conversar ou contar histórias para o bebê;
    • cantar músicas infantis;
    • emitir diferentes ruídos com a boca;
    • bater palmas;
    • fazer cócegas;
    • massagear o bebê nomeando as partes do corpo;
    • embalar o bebê;
    • fazer expressões faciais diferentes;
    • sorrir.

Brinquedos ideais nessa fase: Chocalhos, brinquedos musicais, mordedores, fitas coloridas, brinquedos de berço, móbiles, livrinhos de pano ou plástico, bolas com texturas diferentes para serem agarradas com as duas mãos.

CARACTERÍSTICAS ESPERADAS

ESTIMULAÇÃO

Movimentos

O que fazer

Nos primeiros meses, a maior parte das ações do bebê são movidas por reflexos, que tendem a desaparecer gradualmente com o tempo.


O recém-nascido costuma manter as mãos fechadas, as pernas e os braços dobrados.

• Abrir e fechar suas mãozinhas, brincar com cada dedo, chamando-os pelo nome: mindinho, seu vizinho, pai de todos, fura-bolo, mata-piolho.
•  Movimentar com delicadeza os seus pés em todas as direções.
•  Colocar o dedo na mão da criança ou dar-lhe algo para segurar. Caso ela não consiga, executar com ela o movimento de preensão.
•  Estender suavemente os braços e as pernas da criança.
• Com o bebê deitado de costas, abrir delicadamente seus braços em forma de cruz. Fazer o movimento contrário de forma que e ele cruze os braços (abraçando a si mesmo) e sinta o próprio corpo.
• Com o bebê deitado de costas, una suas pernas, segurando com uma das mãos a barriga das pernas e com a outra mão sobre o joelho, estenda progressiva e delicadamente as pernas.
•  Com o bebê deitado de costas, flexionar suas pernas e fazer cócegas passando o dedo pela sola dos pés.
•  Massagear suavemente o bebê do pescoço até os ombros, passar pelos braços até as mãos, ir até o bumbum, passar nas pernas e chegar até os pezinhos. Isso ajuda muito a deixá-lo tranqüilo.
Nas primeiras semanas, o bebê ainda não é capaz de sustentar a cabeça, mas pode virá-la de um lado para o outro. Depois, ao ser colocado de bruços, ele sustenta a cabeça momentaneamente. Com o passar do tempo, e com os músculos do pescoço mais enrijecidos, consegue levantar e manter a cabeça com mais firmeza.

• Colocar a criança de bruços e mover suavemente sua cabeça de um lado para o outro.
• Aproximar e distanciar o próprio rosto do rosto do bebê. Isto pode ser feito inclusive com a criança deitada de bruços, contribuindo, assim, para que ela levante a cabeça e o peito.
• Agitar um objeto sonoro ou colorido (chocalho, latinhas...) em frente ao rosto da criança, para estimulá-la a levantar a cabeça.
• Não acostumar o bebê a permanecer de forma monótona deitado no berço. Quando estiver bem desperto, colocá-lo sentado com o apoio de almofadas, mesmo que seja por alguns momentos ou tentar colocá-lo de pé, para que sinta e procure apoiar-se ao solo.

Coordenação

O que fazer

Aos poucos, o campo de visão começa a se ampliar, permitindo que o bebê fixe e acompanhe com o olhar pessoas e objetos.
• Aproximar do rosto da criança um brinquedo ou alguma coisa chamativa pela cor ou som (chocalho, mordedor, fitas, latinhas). Quando ela fixar os olhos no brinquedo, movê-lo, lentamente, de um lado para outro. Se o movimento for acompanhado pela criança, mover também para cima e para baixo. Esses exercícios também estimulam a criança no fortalecimento dos músculos do pescoço ao sustentar, gradativamente, a cabeça.
Mexe braços e pernas desordenadamente e tenta pegar objetos próximos, mas ainda não consegue segurá-los com firmeza. • Colocar em frente ao bebê um brinquedo leve para que ele o pegue. Caso ele não o faça, colocar o brinquedo em sua mão para que aprenda a agarrar.
Há uma intensa salivação e o hábito de levar tudo à boca. • Oferecer objetos que a criança possa levar à boca

Identifica melhor as cores contrastantes e com brilho.

• Apresentar brinquedos com grandes contrastes de cor como branco, preto, vermelho e amarelo.
• Se possível, colocar um móbile no berço e trocar o brinquedo de posição regularmente.

Linguagem

O que fazer

Reage aos sons mais altos, podendo se assustar com ruídos inesperados e é capaz de se virar para tentar localizar a origem do som.
• Falar perto do bebê de diferentes lugares.
• Deixar cair um objeto no chão para estimular que ele procure de onde vem o som e assim tente mudar de postura.
A capacidade de emitir sons vai aumentando. O bebê acalma-se ao ouvir a voz da mãe e passa a emitir sons repetidos, distraindo-se com isso. • Repetir os sons que o bebê faz (eee, ooo, suspiros). Se ele não os emite, falar-lhe em sons guturais (sons que saem da garganta) ou vocalizando.
• Segurar o bebê no colo, de frente e fazer sons com a boca, tais como: dando beijos; estalando a língua; fazendo sons ao mostrar a língua; assoprando feito um barco a motor; rosnando; assobiando; zunindo; fazendo sons que imitam animais, Mesmo que ele não imite naquele momento, logo estará imitando.

Social e Afetiva

O que fazer

No primeiro mês o bebê ainda não interage muito com o meio. Contudo, mais tarde ele começa a agitar-se com brincadeiras, música e responde aos estímulos com sorrisos. 

• Chamar o bebê pelo nome com um tom de voz alegre e sorrir para que ele olhe.
• A música tem fundamental importância para o desenvolvimento do bebê, pois desenvolve sua atenção, escuta, linguagem, além de lhe transmitir alegria e paz. Então, deve-se sempre cantar para o bebê: quando ele estiver aconchegado no colo, na hora do banho ou em qualquer outro momento em que o bebê estiver por perto.
Olha para a pessoa que a observa e começa a se interessar pelo rosto das pessoas.  • Ao pegar o bebê no colo, colocá-lo de frente para que ele olhe para quem o está segurando e falar suavemente para que ele preste atenção.
• Tocar as bochechas, fazer gestos para chamar a atenção da criança.
• Chamar a atenção da criança, sorrindo e conversando carinhosamente. Observar se ela olha para quem fala e se responde através de balbucio. Ela poderá não entender tudo o que se diz, mas vai ouvir e se sentir bem por não estar sozinha. 
• Escolher em revistas fotos grandes com expressões diferentes. Mostrá-las uma a uma para o bebê. Eles adoram ver rostos.