Nascimento

Primeiros Procedimentos

Após o nascimento, a equipe de saúde realizará os seguintes procedimentos:
• estimulação da respiração e do choro;
• cuidados com o cordão umbilical;
• apresentação do bebê à mãe e ao acompanhante;
• aquecimento do bebê;
• o bebê recebe uma pulseira com o nome da mãe;
• teste APGAR: é uma escala de avaliação do ritmo cardíaco, da respiração, da reatividade, do tônus e da coloração da pele do bebê;
• aplicação de medicamentos, seguindo a rotina do local de nascimento;
• medidas: peso, comprimento e diâmetro cefálico;
• exame físico do bebê, além de outros cuidados de saúde e registro de suas impressões digitais e do pé, bem como a digital de sua mãe;
• o recém-nascido fica em observação no berçário por 6 horas em média. Se tudo estiver bem, ambos são encaminhados para o alojamento conjunto, onde o bebê fica a maior parte do tempo com a mãe. Com o bebê sempre junto de si, a mãe sente mais segurança e pode amamentar o bebê sempre que ele quiser. No alojamento conjunto, ela pode contar com a ajuda e orientação dos profissionais de saúde e ela deve dizer a eles suas dificuldades no cuidado com o bebê e se ela está se sentindo bem em fazê-lo.

Atenção: Os pais devem ter acesso ao teste de Apgar de seus filhos. O médico registra a pontuação, com o significado de cada nota, em um documento que é entregue à família quando o bebê deixa o hospital.

Importante: Já se pode iniciar a amamentação logo que o bebê é levando para junto da mãe. Para saber mais ver o item Amamentação.

Aparência do bebê

O parto normal faz com que a cabeça e a face do recém-nascido fiquem discretamente “amassadas”. Isto ocorre porque os ossos que formam o crânio sobrepõem-se, permitindo que a cabeça seja comprimida durante o parto. A recuperação é gradual e leva algumas semanas. A pele, geralmente, é avermelhada e os dedos das mãos e pés são, muitas vezes, azulados em decorrência da má circulação sangüínea durante as primeiras horas.

Bebês prematuros

Bebês prematuros são aqueles que nascem antes de completarem a 37ª semana de gestação. As principais causas de parto prematuro são: ruptura antecipada da bolsa d’água, contrações precoces (que podem ser desencadeadas por infecções, por exemplo), hipertensão, entre outros. Em geral, os bebês prematuros nascem com baixo peso e, devido ao fato dos seus órgãos não se encontrarem totalmente prontos para a sobrevivência fora do útero, precisam ficar mais tempo no hospital para receber uma série de cuidados especiais. Para saber mais ver a seção Crianças Prematuras em Cuidados Básicos.

Alta hospitalar

Acontece, no geral, a partir de 48 horas, tanto para o parto normal, quanto cesárea. A criança e/ou a mãe podem ficar mais tempo do que isso se a equipe médica achar necessário. Atualmente, procura-se dar alta o quanto antes para evitar infecções adquiridas dentro dos hospitais.
Se o bebê nasceu numa casa de parto, provavelmente a alta ocorra depois de 12 horas do parto, podendo ser avaliada a necessidade de ficar mais 12 horas. Quando a mulher tem a criança em casas de parto, é importante que seja visitada em sua casa precocemente por um profissional da saúde.
No momento da alta a mãe deve receber orientações sobre quando e onde deverá fazer a consulta de pós-parto e de acompanhamento do bebê. A mulher deve voltar ao serviço de saúde:
• Até 10 dias após o parto para avaliar o estado geral de saúde da mulher, a cicatrização dos dos pontos (se houver), a condição das mamas e do útero. Investigar dúvidas e dificuldades no cuidado com o bebê.
45 dias depois do parto, para receber orientações sobre planejamento familiar e reprodutivo.

Atenção: Nas consultas pós-parto, a mãe deve tomar a última dose da vacina anti-tetânica, se ainda não tiver completado o esquema vacinal e uma dose da vacina contra rubéola (se ela ainda não houver sido vacinada contra esta doença). Portanto, quando voltar à Unidade Básica de Saúde, é importante não esquecer de levar a carteira de vacinação para a verificação.

Documento

Na alta hospitalar a mãe deve receber do serviço que a atendeu uma ficha amarela que é a Declaração de Nascido Vivo (DNV). Este documento será exigido pelo cartório para registrar a criança. Para saber mais ver a sessão Registro Civil.